DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Controle no consumo, reúso e fertirrigação são indispensáveis para um gerenciamento eficaz dos recursos hídricos

Nas discussões sobre sustentabilidade, a questão hídrica é o cerne de uma grande preocupação para o mercado, que valoriza a adoção de práticas e tecnologias que colaboram para um consumo racional e consciente de água. Inspirada pelo dia mundial da água, comemorado em 22 de março, a Usina Alta Mogiana relata seus principais esforços para a preservação desse precioso bem.



Controle no consumo e reúso

Medir a captação e o consumo com exatidão, em vários locais, identifica os pontos de sensíveis de consumo elevado e pode, até mesmo, identificar vazamentos precocemente, prevenindo o desperdício. O programa de gerenciamento de água adotado pela empresa utiliza medidores eletromagnéticos de vazão para registrar a quantidade gasta nos processos operacionais que, monitorados, controlam eficaz e detalhadamente, seus consumos – sem dúvida, uma característica da indústria 4.0.


Evitando que a água seja utilizada no processo de retirada das impurezas minerais e vegetais presentes na cana antes do momento da extração do caldo, o sistema de limpeza de cana à seco, por ventilação, é uma opção muito viável, pois não utiliza água e também não gera como resíduo a circulação da água com impurezas, portanto, sem impactos ambientais. Além disso, tem a vantagem de evitar a perda de sacarose, com consequente aumento no aproveitamento do material processado.


O aproveitamento e a recuperação da água utilizada nos processos como concentração do caldo, evaporação (captada da torre de condensado) e proveniente da lavagem de gases das caldeiras, permite um reaproveitamento para uso industrial, em circuito fechado. Quando imprópria para tal fim, ela é destinada para a limpeza e conservação geral, garantindo todas as possibilidades de reúso.



A planta de recuperação de água adota um sistema de tratamento e decantação de fuligem, chamado de VLC que além da destinação adequada da água permite que o resíduo sólido da fuligem, representada pelas cinzas do bagacilho de cana, seja separada da água por processos de separação sólido/líquido através de peneiramento, sedimentação e filtração, em equipamentos. Esse material sólido retirado da água é enviado para a lavoura com baixo teor de umidade para ser utilizado como fertilizante.


A tecnologia atende aos padrões exigidos pelos órgãos ambientais, proporcionando uma água de ótima qualidade para o reuso, gerando uma torta com baixo teor de umidade, adequada para o uso como fertilizante.


Conhecimento e consciência


A utilização da vinhaça, para a fertirrigação das lavouras é uma reconhecidamente uma prática positiva e amplamente adotada pelo setor sucroenergético. Trata-se de um subproduto da destilação do caldo de cana-de-açúcar, quando de sua fermentação para a obtenção do etanol. Rica em potássio e matéria orgânica, é fator importante na produtividade agrícola, devido à influência que exerce sobre as propriedades químicas, físicas e biológicas do solo.



Há bastante conhecimento técnico comprovando as qualidades da vinhaça para a utilização como fertilizante, até mesmo regulamentado por uma norma técnica estadual. De maneira geral, a cada safra, a área com uso aplicações de fertirrigação aumenta, na busca por uma maior produtividade agrícola, com uma menor aplicação de fertilizantes químicos.


Juntamente com as constantes melhorias em sua cadeia produtiva, a empresa investe em conscientização e práticas ecológicas. Adota a postura de aliar produção máxima ao menor impacto ambiental com seu sistema de gestão ambiental, baseado na norma internacional ISO 14001, que possibilita aliar a produção com o comprometimento da empresa em preservar o meio ambiente, através de práticas agrícolas sustentáveis, do gerenciamento de recursos naturais e do controle de impactos ambientais.


O Comitê Ambiental é composto por profissionais que acompanham tais práticas sustentáveis adotadas pela Alta Mogiana. O grupo é responsável pelo levantamento de aspectos e impactos e tem o desafio principal de monitorar e zelar pela manutenção das certificações voltadas à gestão ambiental, além de conscientizar colaboradores e desenvolver ações junto a população.


Incentivar as pessoas a utilizar a água de forma consciente também é uma preocupação, já que para o consumo humano, há um poço artesiano captando água subterrânea, que é submetida à cloração e potabilização atendendo a todos os colaboradores da planta industrial, restaurante, administração e oficina automotiva. O despertar dessa consciência ocorre, por exemplo, na Semana do Meio Ambiente, através do podcast, campanhas internas e na colaboração desse grupo em orientação aos demais colaboradores.


"A água é o princípio de todas as coisas, o seu consumo é vital, mas sua preservação é fundamental. Vamos repensar nossa relação com este bem natural essencial para a vida, cada vez mais escasso."


Jady Mara Tobias Leite, membro do Comitê Ambiental






587 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo