top of page

Usina Alta Mogiana se sobressai na produção de Soja em áreas de reforma de canaviais

Atualizado: 8 de mar. de 2023

Rotacionar cana-de-açúcar com soja é uma das estratégias adotadas pela empresa para as áreas de renovação de canaviais.




A prática da rotação de culturas é um dos ingredientes para preservar o solo e aumentar a produtividade do canavial, beneficiando também a rentabilidade e o meio ambiente. A Usina Alta Mogiana, atualmente, optou por utilizar a soja.


O sistema consiste em alternar espécies, em um mesmo terreno, a cada plantio, com menor custo e maior sanidade, o que proporciona diversos benefícios para a produção, repõe matéria orgânica e melhora a qualidade do solo. Auxilia, também, no controle de plantas daninhas, pragas e doenças, diminuindo o uso de defensivos químicos.



“Rica em proteínas e sais minerais, a soja é um importante componente para a renovação de um canavial. Falando um pouco da rotação de culturas, o seu sistema radicular é bem diferente da cana, trazendo uma quebra de ciclo que oferece uma descompactação natural, beneficia as características do solo, melhora o manejo de plantas daninhas e também traz alternativas interessantes para o controle de pragas.”

– Luis Gustavo Nunes (Gerente de Desenvolvimento Agrícola).





Monitoramento da Qualidade


Para garantir o sucesso do plantio à colheita, a estratégia adotada é realizar um detalhado monitoramento e controle de pragas que podem reduzir significativamente a qualidade e a produtividade. A meta é proporcionar um manejo de doenças e pragas que permita manter a lavoura em boas condições, até a colheita.


“Para conseguir uma excelente produtividade da Soja é muito importante escolher os cultivares adequados e ter atenção às suas características tais como porte, teto produtivo, época de plantio e ciclo de maturação. Todo ano observamos os resultados obtidos no ciclo anterior e além disso inserimos novos materiais que sejam promissores.” – Matheus Palazzo (Supervisor de Produção)

Dentro desse contexto, foi realizado uma série de experimentos, intitulado “Vitrine de Soja”, finalizado no dia 17 de fevereiro, com a participação de uma equipe multidisciplinar de colaboradores e parceiros externos.


“O projeto surgiu com o objetivo de gerar conhecimento ‘dentro de casa’ no cenário de cultivo de soja em área de reforma de cana, auxiliando na definição de estratégias que serão adotadas. Uma grande oportunidade de aprendizado para toda a nossa equipe.”–Mariele Penteado (Supervisora de Produção)


Colheita segue para a reta final




No ciclo atual, a soja foi utilizada em 50% das áreas de reforma de canavial, utilizando, em sua totalidade, a modalidade de plantio direto. A equipe de Tratos Culturais teve um desafio ainda maior, devido à alta incidência de chuvas.



“Com certeza, foi o ano que terminamos o plantio mais cedo na história da empresa. Como tivemos chuvas em setembro, começamos o plantio dia 16 de setembro e terminamos dia 3 de novembro. Depois, em novembro, as chuvas ficaram abaixo da média e isso prejudicou parte do nosso plantio, que já se encontrava na fase reprodutiva. Além de uma chuva de granizo que causou danos significativos em uma propriedade.” - Manoel Vicente de Faria Neto (Gerente do Processo Tratos Culturais)




A maturidade do grão pode ser identificada em função da coloração das vagens, que muda, até mesmo, a cor das paisagens.





“Iniciamos a colheita dia 17 de janeiro e estamos com previsão de término dia 07 de março. Para esta safra, estamos com uma produtividade acima do esperado e pretendemos passar de 260 mil sacas colhidas.” - Murilo Figueiredo Russi (Supervisor de Produção)






O mês de janeiro chuvoso dificultou muito a colheita mas, mesmo diante de todas as circunstâncias mencionadas, o resultado da colheita superará as expectativas graças ao compromisso de todos os colaboradores.

487 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page